Modos de medição de luz – exposição automática

Modos de medição de luz

Hoje em dia as máquinas fotográficas digitais já possuem fotómetros embutidos (medidores de luz), e modos de exposição que fazem muitas vezes um bom trabalho no cálculo da exposição. Porém, o fotómetro da câmara fotográfica apenas mede a luminosidade de um cenário e nem sempre os modos disponíveis são os ideais para conseguir a exposição desejada.

Os modos de medição de luz da câmara fotográfica implicam que a câmara fotográfica vai assumir que o cenário/objeto é composto por um cinza 18% (18% de preto) calculando a abertura e a velocidade do obturador a partir dessa informação.

Existem 3 modos de medição de luz na câmara fotográfica digital. Poderá já ter visto estes símbolos na sua câmara fotográfica: [(0)]   [ o ]   [ ]

Estes três símbolos indicam diversos modos de medição suportados pela sua câmara fotográfica. Qual deles é o melhor? Depende do resultado que pretender.

O tipo de medição de luz faz muita diferença no resultado final da fotografia. Para perceber qual é o modo adequado à fotografia que pretende obter, terá de compreender os modos de medição para se certificar que não fica nem com um fotografia com sobrexposição (luz a mais) nem com subexposição (luz a menos).


E como é que a câmara fotográfica sabe se a imagem está sob ou sobrexposta? 

O que a câmara fotográfica tenta fazer é conseguir obter o nível de exposição recebido a 18% cinza, ajustando-o automaticamente. Isto significa que a quantidade de luz a passar por cada ponto da exposição é o mesmo. Porém, a imagem não tem apenas tons de cinza médios, tem também zonas escuras e claras. A câmara fotográfica mistura todos os brilhos e determina o cálculo para a velocidade do obturador ou para a abertura (dependendo da prioridade do modo selecionado) para que a exposição total seja equivalente a 18% de cinza, independentemente da imagem. Este cálculo é chamado de medição de luz. O modo de prioridade à abertura é usado para seccionar a velocidade do obturador; e o modo prioridade velocidade do obturador é usado para selecionar a abertura.

A medição da luz é o equivalente a decidir qual a quantidade de luz necessária para obter uma determinada fotografia. Formas diferentes de fazer isto dependem dos diferentes modos de medição da luz.

No processo de medição, a sua câmara fotográfica “olha” para o cenário e verifica quantas áreas do enquadramento estão iluminadas e decide qual será a exposição total (quantidade de luz) necessária para criar a fotografia de forma a ser equivalente a 18% de sombra cinza (valor que a máquina usualmente considera como o indicado).



Modo de avaliação Matricial [(0)]  

(Evaluative ou Matrix)

A câmara fotográfica divide o cenário em diversas zonas e calcula a exposição correta. Por outras palavras, a câmara dá igual importância a todo o cenário, certificando-se que a exposição correta é conseguida em toda a fotografia, em vez de ser apenas num ponto específico.

A leitura matricial é usualmente o modo de medição de luz mais apropriado para a maioria das situações. Porém, pode não ser o ideal num cenário onde exista grande contraste entre determinadas áreas da imagem, pois a câmara não sabe avaliar qual a região mais importante: sombras ou altas luzes.

Se reparar, nesta fotografia a maioria do fundo é mais claro que o tripé; como o tripé é mais escuro, e a máquina não dá importância ao elemento principal, isto faz com que o elemento principal perca detalhe.  

Modo de medição da luz ponderado ao centro [ ]

(Center-Weighted Average)

        
Este modo de medição de luz é muito parecido com o modo de avaliação matricial, porém, em vez de dar igual importância a todas as áreas, a câmara fotográfica dá a maior importância ao centro da imagem. A máquina fotográfica tenta certificar-se que o centro da imagem tem uma exposição adequada e pode sobrexpor ou subexpor o resto da imagem.

Modo de medição pontual [o]

(Partial ou Spot)

No modo de medição pontual, a câmara fotográfica apenas considera uma pequena área do cenário. A área a selecionar pode ser feita através de um dos pontos do auto focus, ou selecionando uma pequena parte do centro da imagem. A câmara fotográfica certifica-se que a exposição correta (18% de exposição cinza) é conseguida num ponto específico selecionado, e não se importa com a sobre ou subexposição do restante enquadramento.

Na imagem do tripé da máquina fotográfica, foi selecionado o centro do enquadramento, logo a câmara fotográfica tentou conseguir o balanço dos 18% de exposição de cinza nessa área, portanto, todos os detalhes do tripé são visíveis. Porém, a câmara não deu importância à restante exposição do enquadramento, ficando o fundo sobrexposto. Para conseguir a exposição correta no ponto selecionado, que neste caso tem muito preto, a câmara fotográfica diminui a velocidade do obturador de tal forma que a restante imagem está sobrexposta: porém os detalhes do tripé estão bem visíveis.

Quando é que não se usam os modos de medição de luz?

A única vez que não estará a usar este tipo de medição é quando tiver a máquina no modo de fotografia manual. Quando tiver de selecionar a velocidade e a abertura do obturador.

No modo de fotografia manual, terá de selecionar tudo, portanto não estará propriamente a usar a capacidade que a câmara fotográfica tem de medir a luz. Contudo, isto não significa que o modo de medição da luz esteja indisponível: as máquinas fotográficas digitais atuais mostram algum tipo de indicação que anuncia como é que a fotografia vai sair baseando-se nos parâmetros selecionados – mostrando quantos stops está abaixo ou acima da exposição adequada. Isto pode ser uma boa referência, embora não tenha de a usar.

Para verificar se está a obter uma boa exposição, tenha atenção às sombras e verifique se os elementos que pretende que tenham detalhe estão bem iluminados.

E para ter tudo?

Se o elemento que pretende fotografar tem o problema de perder detalhe caso adicionalmente pretenda que o fundo também seja visível, então provavelmente terá de usar o flash. Usar o flash da câmara fotográfica para preencher os detalhes é a solução. Esta técnica é boa para tirar fotografias a objetos/pessoas de costas para o pôr-do-sol não perdendo o detalhe do objeto/pessoas, podendo usar a o modo de medição pontual.

A sua votação: 
Average: 4.6 (52 votos)